• Maedra

As 25 Melhores Atitudes para ser um mau Animador Social em Gerontologia

Atualizado: Out 22


- Quando iniciar o seu trabalho numa organização sénior jamais faça o diagnóstico de necessidades de cada utente. Não perca tempo! São velhotes e por isso querem todos o mesmo! Assuma que os conhece a todos. Apesar de não conhecer as suas histórias, eles são todos iguais!




- Assuma que se são seniores e por isso, as histórias de vida, os gostos, os sonhos, as preferências, os medos, são os mesmos. São todos do mesmo grupo etário!


- Assuma também que os velhotes têm muitas manias. E só isso, manias!

Têm a mania que já foram alguém na vida e que foram importantes na vida de alguém. Têm a mania que trabalharam muito, como se agora não se trabalhasse! Têm a mania que no tempo deles é que era, como se agora o nosso tempo não fosse e têm a mania que têm de ter atenção só porque ninguém lha dá!


- Assuma que você, será com certeza, um sénior diferente, essencialmente sem manias! E possivelmente sem sonhos e com muito pouco para contar…


- Mas se fizer algum diagnóstico, não programe actividades. O diagnóstico serve para colocar na gaveta e se for preciso... Se a direcção pedir… ou se houver uma daquelas visitas da segurança social que pedem tudo e mais um par de botas, então mostre o seu diagnóstico. Até lá, deve fazer assim:


- Mantenha-se no gabinete e programe lá todas as actividades que devem ser parecidas com as que se fazem com os meninos. Aproveite, se a sua organização tiver um jardim – de-infância, copie!


- Sabe aquele ditado que diz “de velho se torna a menino?” Ora aí está!

Não há ditado mais certo. Nunca percebi é, se o velho é que rejuvenesce ou se é o menino que tem alguma deficiência e ficou velho, mesmo antes de crescer! Um dia hei-de descobrir! Quando for velha, claro!


- As actividades? É fácil! Podem ser apenas celebrações – de Natal, Carnaval, S. Martinho, Santos Populares, Festa da Padroeira, Aniversários, dia disto, dia daquilo…


- Ah! E não se esqueça do dia Mãe e do Pai, dos seniores claros! É fundamental! Nunca como uma homenagem à sua paternidade ou maternidade. Nunca com os filhos que queiram participar de alguma forma.


E o dia dos namorados? Esse não se pode esquecer, principalmente se trabalha numa organização da idade média, onde o namoro entre os seniores é proibido, ou olhado de lado, ou onde por baixo dos panos se humilham as mulheres seniores por não terem juízo, não terem vergonha e onde se rebaixam os homens por já não terem nem idade nem o resto para estas coisas …


- Se fizer um Plano de Acção com todas as celebrações anuais é um trabalho imenso! Pelo menos enche o Plano de Acção!


-Bailes? Sim, de vez em quando em alturas festivas. Chega bem!


Eles não podem com um gato pelo rabo, quanto mais dançar?


Jamais imagine que dançar faz bem à saúde física, mental, emocional e que ajuda na prevenção de algumas doenças. E depois ouvir aquelas músicas! Que parolice ouvir o apita o comboio! E nem sonhe em dançar com pessoas em cadeira de rodas, tripés, muletas…


- Jamais faça estimulação cognitiva, não serve para nada. Eles já perderam a memória, vão encontra-la agora onde?


- Jamais procure saber usos, costumes, tradições do local onde trabalha ou dos locais de origem dos seniores com quem trabalha, e nem pense em organizar saídas ao café, ao quarteirão, ao centro da vila, ao local onde cada sénior nasceu. Nem pense nisso! Jamais coloque um sorriso constante e estampado na cara daqueles que lhe pagam!


- E que não lhe passe pela cabeça trabalhar com as famílias. Não forme nem informe! Não vale a pena! Até porque você também não sabe fazer isto muito bem. Tirou o curso à pressa, não foi a 1ª opção, mas parecia-lhe fácil e afinal…


- E trabalha numa daquelas organizações em que só os assistentes sociais, os psicólogos ou o pessoal de saúde fala e você só faz parte da “equipa” quando a “equipa” precisa de si? Acontece inúmeras vezes! E você, tem sabedoria suficiente para se fazer ouvir, sabe mostrar o quanto vale?


- Avaliações? Não se meta nisso. Avaliar o êxito, falhas, obstáculos, potencialidades ou travões de cada acção que faz, é evidentemente uma perda de tempo e registá-las ainda mais.


- E o Plano de Cuidados? Para quê um Plano de Cuidados individualizado se os cuidados são sempre os mesmos e iguais para todos? Não se vai fazer um plano de animação consoante as necessidades, os gostos, as motivações e capacidades de cada um. Era o que mais faltava! Isso é um trabalhão!


- Cumpra a amortização do EU! Faça parte desse grupo!


- Na sala acenda a TV e coloque uns em frente e outros ao lado (não interessa se querem estar ou não, nem pergunte!). Coloque também uns virados de costas para os outros. Comunicar para quê? Já não sabem o que dizem!


- E os que gritam? Os que estão sempre a chamar?


Esses, coloque longe, de preferência virados para a parede ou sozinhos num local onde não se ouçam. Também pode fechá-los na casa de banho. Assim, aproveitam e em vez de estarem sempre a chamar para ir à casa de banho, ficam lá e fazem tudo de uma vez.


Jamais trabalhe individualmente com alguém segundo as suas necessidades. Jamais tente entender. Não faça um plano individualizado para quem grita, chama… Para quê?


- Você é mesmo animador ou é de outra área social e está a fazer animação?


Ou já fez Teatro? Foi Escuteiro? Ah! Já cuidou de velhotes e por isso sabe bem o que é animar, certo? Pois então vais ser complicado disfarce, ninguém nota!


- Tenha preferências e demonstre-as. Porque não? Ora, tem algum mal gostar mais do Sr. Manuel do que do Sr. António e todos perceberem isso? Principalmente o Sr. António? Trabalhe apenas com os seniores da sua preferência!


- Exposições do trabalho de animação com seniores, também faz? Vendas de Natal? Bom, então não perca tempo com isso. Qualquer coisa serve, é você mesmo que faz não é? Demora muito tempo a trabalhar com seniores e é preciso paciência, sabedoria… E trabalhar com seniores portadores de demência? Nem pensar!


Nem pensar, porque nem você consegue imaginar o trabalho que eles conseguiriam fazer, nem lhe passa pela cabeça porque você não tem cabeça para lhe puder passar isso pela sua cabeça!

Faça você mesmo e depois diga que foram eles!


Agora, fazer com os utentes ou deixar que eles façam com a sua orientação e depois expor com o nome de quem fez, a história do trabalho, a fotografia de quem fez e do processo de realização para aumentar a auto-estima, esqueça, valorização? Esqueça! Isso é treta! Coisas de quem não sabe o que faz e acredita em balelas que dizem lá na faculdade. Alguma vez?


- Quando houver alguma actividade ou festa na cidade, na vila ou na aldeia onde trabalha, não programe ir com eles, estão com certeza fartos de ver aquilo. E possivelmente já nem se lembram!


E se for à noite, nem sequer proponha vir trabalhar. Eles querem é dormir, todos, sem excepção.


- E quando organizar passeios não informe todas as pessoas, nem depois de dizer a todos, fale com cada um para se certificar que todos perceberam e têm hipótese de escolha. Convide apenas as mesmas pessoas, aquelas que gosta mais, que dão menos trabalho.


Resumindo, não faça nada que não tenha sido já feito. Não invente nada, não crie, não vá ao encontro de nada nem de ninguém e muito menos trabalhe Com alguém. Eventualmente, pode trabalhar umas coisitas Para alguém.


E não dê Alma (ANIMA) a ninguém! Guarde mas é bem a sua! E assim vai para casa descansado, com a sua Alma!


Conselho –  Se te reconheces em alguma prática, revê os teus conhecimentos teórico-práticos, a tua sabedoria, a tua ética, o teu código deontológico. Pondera falar com um antigo professor da tua faculdade ou considera fazer supervisão profissional e fazeres-te acompanhar por outro colega mais velho e com maior experiência, no teu percurso profissional.


Regina Azevedo Lourenço

41 visualizações

Gostaste do que leste? Partilha-o:

Avenida Eng. Duarte Pacheco nº 3 A,

2640-476 Mafra

Contacte-nos

92 806 25 17

Visita também as nossas redes sociais

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube