A proximidade do assistente social à realidade social torna a sua acção superlativa.


..." O que torna o assistente social destacadamente especial,...é que devido à sua proximidade com a pobreza, com as desigualdades, os desumanismos e as formas extremas de sofrimento humano, sua ação torna-se superlativa. Seu conformismo pode tornar-se mais brutal que a indiferença do burocrata, pois enquanto este acompanha pela televisão os efeitos da violência social que acionou, o profissional depara-se com ela, frenta a frente, a partir do depoimento vital das pessoas atingidas, vendo de perto, nas perdas, destituições e desafiliações que a população biografa, as ressonâncias da ação perversa do capital e seus agentes... É portanto emergente responder com crítica, auto-determinação, ousadia, vontade política... (Sarita Amaro in O Desafio dos 3 "C" no Serviço Social)

E esta proximidade do assistente social com a realidade social, dá-lhe habilidades, competências e ferramentas múltiplas que transporta na sua mochila profiisonal e lhe dão os saberes necessários para trabalhar autonomamente, podendo realizar um trabalho de excelência na informação e na formação à população sobre Direitos Humanos e Direitos Sociais e, contribuir para elevar o nível de consciência da população e pares sobre esta profissão.



Regina Lourenço

Assistente Social Autónoma

Academia de Empreendedorismo em Serviço Social e

Supervisão Profissional para Assistentes Sociais na àrea do Envelhecimento

134 visualizações

Posts recentes

Ver tudo